Warllock lança ‘Nova Escala, Pt. 2’ seu terceiro álbum solo

Warllock lança ‘Nova Escala, Pt. 2’ seu terceiro álbum solo

Somando nas participações especiais, artistas catarinenses como Dill Menezes, Vinícius Galant e a banda Iguanas Tropicais.

Ajude o site PRUSMANO, faça uma doação

Letras inteligentes passeando por temas interessantes e sonoridades diversas, como trap, boombap, lo-fi e até mesmo rock psicodélico. Essa é a definição para o terceiro álbum que WARLLOCK entrega de forma totalmente independente, o ‘Nova Escala, Pt. 2’. O disco conclui o projeto iniciado em 2020, com a primeira parte divulgada em formato de EP.

“A produção teve início em meados de novembro de 2018, com a ideia tomando forma logo na sequência do lançamento do segundo álbum no mesmo ano. A proposta é variar a abordagem com que pauto minhas letras, além de experimentar novos temas, sonoridades e recursos para se fazer música. Todo o processo foi bastante experimental, com cada música ganhando uma história única. Como o fato da banda Iguanas Tropicais ter gravado, literalmente, na garagem de casa; eu procurando estúdios no Rio de Janeiro à distância para que a nabru pudesse gravar durante sua estadia na cidade, e por aí vai. O Nova Escala, Pt. 2 vai muito além de um álbum de rap experimental, o projeto traz consigo toda uma carga regional florianopolitana somada ao talento que foi emprestado de outros estados para que a obra ficasse completa. Ainda que de um jeito independente, é sobre alcançar novos patamares… uma nova escala”.

Somando nas participações especiais, artistas catarinenses como Dill Menezes, Vinícius Galant e a banda Iguanas Tropicais. Representando a comunidade trans da região, nomes de peso como Rê Moraes, Zara Dobura, Duduzzone e Ritsuka. De outros estados, o pioneiro De Leve (RJ), nabru (BH) e Rodrigo Zin (PR). Na produção, GGOSS, Graça, Alice Piink, Jovem Basti e Umteto.

Com 10 músicas, o ousado e distinto ‘Nova Escala, Pt. 2’ registra o carinho do artista por sua cidade através de referências regionais de Florianópolis, sendo um grande marco na cena do rap independente regional e servindo de estímulo à propagação da cultura local e suas potências envolvidas. 

“Grande parte dos projetos que rolam na ilha são elitistas e de difícil acesso, ou apenas burocráticos demais a ponto de nos levarem à desistência toda vez. Quando falo de alcançar uma nova escala, artística e profissionalmente falando, não me refiro apenas de forma individual, mas também como cenário local”.

Algumas das principais inspirações para o álbum foram gigantes como Childish Gambino, Black Alien, Amiri, Tasha & Tracie, Rodrigo Ogi, Makalister, Rapsody e Frank Ocean. Para dar vida ao álbum no campo audiovisual, a faixa ‘Roland Garros’ recebeu um videoclipe filmado nas dependências da Universidade Federal de Santa Catarina.

Já disponível no YouTube, o vídeo ostenta uma evolução técnica e artística, exibindo um look exclusivo elaborado pela ex- drag queen Vogue e pelo estilista Mousinho, reciclando uma jaqueta de motociclista e enaltecendo a presença do artista.

A vida boêmia de Florianópolis e a vivência queer somada à letras cuidadosamente pensadas resultam no projeto ao qual WARLLOCK vem se dedicando há dois anos.

Comente

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.

Veja Também

PK Delas faz supresa para seu barbeiro e o presenteia com um carro

Nascido no Bairro de Caramujo, em Niterói, Patrick Silva é um dos grandes nomes no...

“Quantas vezes você já foi amado?”, novo álbum de Baco Exu do Blues

"Quantas vezes você já foi amado?" Esta indagação é o título do terceiro álbum de...

Emmy Jota lança disco para celebrar 25 anos de carreira

Em carta aberta nas redes sociais, Emmy Jota explica: "Amantes da poesia, meu coração é...

Sombra se une a Funk Buia no clipe “Mano Vou Alí Plantá um Chá”

O rapper Sombra MC lança o clipe da música “Mano Vou Ali Plantar Um Chá”. Com a proposta...

Relacionadas